NRE DE WENCESLAU BRAZ TERÁ REPRESENTANTE ATUANDO NO DEPARTAMENTO DE DIVERSIDADE/SEED

Veja a matéria completa no site do NRE de Wenceslau Braz..... http://www.diaadia.pr.gov.br/nre/wenceslaubraz/modules/noticias/article.php?storyid=70

NRE ITINERANTE DE IVAIPORÃ CONSOLIDA PRÁTICAS PEDAGÓGICAS.

 

Aconteceu no vale do Ivaí nos dias 15 e 16 de Junho no Colégio Estadual Barbosa Ferraz, mais uma etapa do NRE ITINERANTE. A coordenação de Geografia do NRE de Wenceslau Braz conduziu a capacitação onde práticas metodológicas e didáticas da disciplina foram construídas e debatidas por 26 professores da rede pública de ensino. O ponto forte da oficina foi o comprometimento dos professores que participaram de forma exemplar, com isso foi consolidado práticas de elevação de conhecimento no quesito ensino-aprendizagem. Veja as fotos abaixo. Se você participou dessa oficina poste sua opinião.

NRE DE WENCESLAU BRAZ PARTICIPARÁ DO NRE ITINERANTE DO NRE DE IVAIPORÃ EM IVAIPORÃ PR

 

A Convite do Departamento de Educação Básica (DEB GEOGRAFIA) da Seed PR, a coordenação de Geografia do NRE de Wenceslau Braz estará presente nos dias 15 e 16 de junho de 2009 para discutir metodologias, didáticas e práticas de ensino na disciplina de Geografia. Nessa oficina cerca de 26 professores irão socializar o conhecimento geográfico em sala de aula.

Fotos e mais informações em breve.

Geografia

Elaboração de Perfil Topográfico

Objetivos

1) Desenvolver a habilidade de leitura de mapas de curva de nível.

2) Retomar e aplicar nesta atividade o uso das escalas gráfica e numérica.

3) Compreender a importância deste sistema de representação cartográfica.

4) Introduzir a noção de corocromatismo para as representações cartográficas.

 

Estratégia

1) Após a explicação de escala e perfil topográfico em sala de aula, propõe-se ao aluno a seguinte elaboração de perfil topográfico. (Clique e imprima)

2) A atividade deve ser desenvolvida individualmente em sala de aula, acompanhada pelo professor e corrigida individual ou coletivamente.

3 Aplicar, após o processo de correção, questões pertinentes à esta atividade. 

Pontos para discussão

1) Relação entre distância das cotas de curva de nível e declividade do relevo.

2) Razão da utilização de escalas horizontais e verticais diferentes.

3) Mostrar que o corocromatismo, aplicado na atividade, está também relacionado aos mapas físicos hipsométricos e uma série de mapas temáticos.

 

Material para a atividade

Régua e lápis de cor, além das fichas fornecidas neste plano de aula.
*Cláudio Mendonça é Professor do Colégio Stockler e autor de "Geografia Geral e do Brasil" (Ensino Médio) e "Território e Sociedade no Mundo Globalizado" (Ensino Médio).

Técnicos concluem mapeamento do Aquífero Guarani


Na região do centro da cidade de Ribeirão Preto, em 30 anos, o aquífero baixou 60 metros. Esses foram alguns dos problemas constatados pelo mapeamento da área, uma das fases do Projeto de Proteção Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do Sistema Aquífero Guarani, que começou em 2003 e teve os resultados apresentado na semana passada durante na 21ª Reunião do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH), em Brasília. Situado no subterrâneo dos territórios da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, com extensão total de 1.200.000 quilômetros quadrados, dos quais 840.000 no Brasil. O aquífero armazena cerca de 30 mil quilômetro cúbicos de água (dos quais apenas 2% podem ser aproveitados) e é considerado um dos maiores do mundo. Segundo a geóloga Cláudia Lima, o fato de o nível ter baixado preocupa, mas não é grave. “Sempre que se explora, ele diminui, mas à medida que você vai fazendo uma gestão mais controlada, diminuindo o número de poços, acaba voltando para o equilíbrio”. Cláudia Lima está no projeto desde 2004. Para Luiz Amore, secretário geral do projeto, o mapeamento foi a iniciativa mais importante. Ele disse também que a gestão do manancial deve ser cada vez mais local. O projeto é realizado por técnicos do Brasil, do Paraguai, do Uruguai e da Argentina desde 2003. O objetivo do mapeamento foi ampliar os conhecimentos sobre o sistema, formular um marco legal, institucional e técnico de gestão conjunta entre Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, implementar uma rede de monitoramento permanente, um sistema de informações e elaborar o Plano Estratégico de Ações. O projeto é pioneiro na América Latina. Outro resultado do estudo é a divisão de quatro projetos- pilotos de gestão; Rivera-Santana; Itapua, Concórdia Salto e Ribeirão Preto. O Brasil é responsável pela gestão de Rivera-Santana, em gestão conjunta com o Uruguai e de Ribeirão Preto. A próxima etapa será a implantação do Plano Estratégico de Ações (PEA) que visa identificar quais são as ações necessárias para resolver as principais ameaças a este sistema aqüífero. "O Aquífero Guarani de ação a serem desenvolvidos em nível local, regional, nacional e transfronteiriço. Entre eles as que estão mais diretamente no âmbito do governo brasileiro são a coordenação da rede de monitoramento, o apoio ao desenvolvimento da gestão local e o desenvolvimento de programas técnico-científicos específicos para temas estratégicos. “Acho que o mais importante é a gestão no sentido de proteção, preservação e utilização racional do aquífero afirmou Cláudia Lima. Foram investidos US$ 22 milhões no projeto, que foi implementado com recursos doados pelo Fundo para o Meio ambiente Mundial (GEF) e contrapartidas dos países, com o apoio do Banco Mundial e da Organização dos Estados Americanos.

A Coordenação Nacional do Projeto no Brasil esteve a cargo da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Meio Ambiente.

Fonte: http://www.bemparana.com.br

Olá companheiros!

Estamos postando o vídeo com a música "Meu país" de Zezé di Camargo e Luciano que pode ser utilizada como recurso didático. Os slides trazem informações teóricas que acompanhadas com letra e melodia oferecem ao professor e aluno uma rica discussão sobre a fome no Brasil. Bom tranbalho!

Coordenação de Geografia.

Fonte: youtube Produzido por Maria Edna da Glória

Professores de Geografia do NRE de Wenceslau Braz participaram de Seminário para discutir políticas públicas de educação e diversidade.

O evento aconteceu no Centro de Formação Continuada de Faxinal do Céu, de 04 a 07 de maio de 2009, no município de Pinhão, teve como objetivo debater, elaborar proposições e diretrizes das políticas públicas de educação e diversidade no Paraná. Com a participação de 700 pessoas, entre educadores, lideranças de movimentos sociais e organizações populares. O NRE de Wenceslau Braz contou com a participação de 14 representantes.

Para Wagner Roberto do Amaral, chefe do Departamento da Diversidade da Secretaria da Educação (Seed), o seminário foi a oportunidade para debater as diretrizes político-pedagógicas que vem se construindo em torno das políticas públicas que estão sendo implantadas no estado do Paraná. “O seminário pretende identificar quais as estratégias e ações necessárias para disseminar e instituir políticas de educação e diversidade no Paraná”, comenta.

Com o tema “Políticas públicas de educação e diversidade, perspectivas e sujeitos”, Amaral ressalta sobre a importância que as unidades da rede pública estadual de ensino insiram efetivamente os sujeitos que se encontram na diversidade, garantindo a permanência, a continuidade e a conclusão dos estudos sem discriminação ou preconceitos. “Queremos que todos as escolas discutam questões de inclusão e do respeito à diversidade no currículo e na organização do espaço escolar”, explica.

Durante o seminário foram desenvolvidas oficinas que abordam os seguintes eixos temáticos: escola, diversidade e preconceito; currículo e diversidades; movimentos sociais, participação popular e gestão democrática; formação de educadores e diversidades; educação continuada, trabalho e diversidades; materiais de apoio didático-pedagógicos e os diferentes sujeitos; a universalização da educação básica para a diversidade; e diversidade e tecnologia educacional.

O seminário contemplou para as discussões os diferentes sujeitos da diversidade presentes na educação os povos indígenas; populações negras; agricultores familiares, assalariados rurais temporários e pessoas dos acampamentos e assentamentos da reforma agrária; faxinalenses; ilhéus e ribeirinhos, quilombolas, jovens, adultos e idosos não alfabetizados; lésbicas, gays, travestis e transexuais.

Reportagem extraída e adaptada do site www.diaadiaeducacao.pr.gov.br

Confira as fotos do evento.

 

NRE ITINERANTE PÓLO WENCESLAU BRAZ

Ocorreu nos dias 27 e 28 de maio de 2009 no município de Wenceslau Braz o evento "Disseminação da Política Curricular e da Gestão Escolar da SEED-PR - NRE Itinerante", onde professores de Arapoti, Salto do Itararé, Santana do Itararé e Wenceslau Braz discutiram fundamentações teóricas, práticas metológicas e didáticas da disciplina de Geografia pautadas nas Diretrizes Curriculares de Geografia. O evento contribuiu também para aproximar a coordenação regional da disciplina dos professores.

 


 

EsportistaNRE ITINERANTE SENGÉS COLÉGIO ESTADUAL COSTA E SILVANa correria

Ocorreu nos dias 20 e 21 de maio de 2009 no município de Sengés o evento "Disseminação da Política Curricular e da Gestão Escolar da SEED-PR - NRE Itinerante", onde professores de Sengés, São José da Boa Vista e Jaguariaíva discutiram fundamentações teóricas, práticas metológicas e didáticas da disciplina de Geografia pautadas nas Diretrizes Curriculares de Geografia. O evento contribuiu também para aproximar a coordenação regional da disciplina dos professores.

Se você participou desse evento,poste sua opinião...


Coordenação

ENEM

Sabe tudo sobre o novo Enem? Confira 20 perguntas e respostas sobre a prova.

Simone Harnik
Ana Okada
Em São Paulo

O prazo para as universidades federais aderirem ao novo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) termina nesta sexta-feira (8). A proposta do MEC (Ministério da Educação) é utilizar o exame como vestibular unificado para as instituições interessadas em todo o paísA avaliação, que é realizada desde 1998, ganha peso na vida dos estudantes do ensino médio e dos concluintes que buscam vaga no ensino superior federal. Para facilitar sua vida, o UOL Educação elaborou perguntas e respostas sobre a avaliação. Confira:

Arte/UOL
Novo Enem será aplicado nos dias 3 e 4 de outubro

Por que o Enem mudou?Segundo o MEC, o vestibular seleciona os melhores estudantes e cumpre sua função. Mas com a unificação dos vestibulares pelo novo Enem, o candidato terá mais chances de ingressar em uma universidade, pois poderá se candidatar a diversas instituições simultaneamente, com diminuição de custos - como o de taxa de inscrição e de viagens para realizar os exames. Além disso, o ministério pretende dar orientações mais claras para mudanças no ensino médio, a partir do novo Enem.Não era possível unificar os vestibulares com o Enem da forma antiga?Segundo o MEC, o novo formato de prova tem mais capacidade de diferenciar as habilidades dos candidatos e de selecionar os ingressantes em uma faculdade. A prova tem questões com níveis de complexidade diferentes e poderá ser comparada ano a ano, já que seguirá um padrão.O novo Enem terá quantas questões?Serão 200 questões objetivas com cinco alternativas. Até o ano passado, eram aplicados 63 testes de múltipla escolha.Haverá redação?Sim. A redação está mantida no novo Enem, no mesmo modelo dissertativo - como já ocorria nas edições anteriores.Quando será aplicado o novo Enem?A prova está prevista para os dias 3 e 4 de outubro. A divulgação das notas nas questões de múltipla escolha ocorrerá em 4 de dezembro. O resultado final, incluindo a redação, sai no dia 8 de janeiro de 2010, diz o MEC.O conteúdo cobrado vai mudar?A prova continuará a avaliar habilidades e competências. O ministro Fernando Haddad já afirmou que o conteúdo cobrado deverá se aproximar um pouco do que é exigido nos vestibulares. O Enem passará, então, a exigir mais conteúdo do que nas edições anteriores.Quais serão as matérias avaliadas?Serão avaliadas quatro áreas do saber: linguagens, códigos e suas tecnologias (incluindo redação); ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias. Cada uma das áreas deverá ter cerca de 50 testes.Como devo me preparar para o novo Enem?Segundo o MEC, quem está se preparando para o Enem antigo e para os vestibulares não terá problemas na resolução da nova prova.Vai ser preciso saber fórmulas de física e química?De acordo com o MEC, a intenção é diminuir e até mesmo acabar com a "decoreba". As questões deverão fornecer as fórmulas necessárias. Isso não significa que a pergunta vai ficar mais fácil! Será necessário ter bom conhecimento das disciplinas e saber, de verdade, utilizar as fórmulas.Será preciso estudar datas históricas?Pela proposta, a ideia não é cobrar conhecimento enciclopédico. Ou seja, os testes não deverão conter pegadinhas sobre anos ou dias de determinados fatos históricos. O que será cobrado do candidato é o conhecimento aprofundado da história, da relação entre os fatos e as implicações do conhecimento do passado no presente.A prova terá atualidades?Os vestibulares tradicionais e o próprio Enem antigo costumam cobrar atualidades de maneira contextualizada. Ou seja, as atualidades servem como "gancho" para formular um teste ou para o tema da dissertação. Sempre é bom estar informado, para ter facilidade ao elaborar relações entre conteúdos e construir argumentos em um texto.O exame terá questões de inglês?Em 2009, a prova não terá perguntas de língua estrangeira. Para 2010 são previstas perguntas de inglês e espanhol. O MEC ainda não definiu se o candidato poderá fazer a escolha entre um ou outro idioma.Como as faculdades vão utilizar o novo Enem?O MEC definiu quatro formas de utilização do novo Enem na seleção de estudantes. São elas:1- usar o Enem como prova única para a seleção de ingresso;2- substituir apenas a primeira fase do vestibular pelo Enem;3- combinar a nota do Enem com a nota do vestibular tradicional. Nesta modalidade, a universidade fica livre para decidir um percentual do Enem que será utilizado na média definitiva;4- usar o Enem como fase única apenas para as vagas ociosas da universidade.Terei de escrever de acordo com as novas regras ortográficas?Não. Segundo o decreto que regulamenta o acordo ortográfico, é possível escrever de acordo com a norma antiga até 2012. Os examinadores terão de aceitar as duas grafias.Posso me candidatar a quantas faculdades com o novo Enem?Será permitido que o vestibulando escolha até cinco opções de cursos em instituições de todo o país que aderirem à prova. É permitido escolher diferentes cursos em instituições distintas.Universidades particulares e estaduais poderão adotar o novo Enem?Sim. A adoção é aberta para as instituições que tiverem interesse. USP (Universidade de São Paulo) e Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) já informaram que não vão trocar seus vestibulares pelo novo Enem de 2009.Como será a inscrição para os vestibulares?O MEC vai criar um sistema na internet para a realização das inscrições. Será um sistema semelhante ao que já é usado no Prouni (Programa Universidade para Todos), que concede bolsas de estudo em universidades particulares. O processo todo será realizado pela internet.Como sei se minha nota no Enem 2009 é suficiente para conquistar uma vaga?O MEC informa que a nota mínima para ingresso em cada curso será atualizada diariamente, em tempo real. Assim, o candidato poderá saber se tem pontos suficientes para conquistar a vaga. Se não tiver, poderá modificar sua escolha quantas vezes desejar, até que termine o prazo de opção.Como o ensino médio muda, depois do novo Enem?É no ensino médio que os interessados em fazer uma faculdade se preparam. Se o processo seletivo de ingresso nas universidades mudar, as escolas terão de ensinar os estudantes. Assim, por conta de uma mudança na avaliação, o MEC pretende que ocorram mudanças no sistema de ensino.Se o Enem quer pautar o ensino médio, quem já fez colegial terá mais dificuldade para fazer a prova?Como a prova não exigirá domínio de conteúdos de memorização, mesmo quem já se formou poderá ter um bom desempenho. Mas a avaliação vai exigir capacidade de relacionar fatos, de aplicar conhecimentos das disciplinas e habilidades de interpretação de texto, gráficos e problemas.

Fonte UOL.

Olá Professores estou postando vídeo sobre Rochas e Minerais para recorte em conteúdo específico. Lembre-se! O conteúdo específico pode abordar diferentes conteúdos estruturantes, sendo assim não limita-se apenas a um contéudo estruturante.

Os conteúdos básicos apresentados nas Diretrizes Curriculares de Geografia devem ser contemplados nos  planos de trabalho docente. Como o próprio nome diz esses conteúdos são basicos, por isso devem ser executados na íntegra de acordo com a realidade da escola e do aluno. Podemos criar novos conteúdos básicos (diferentes) para contemplar os PTD's.

 

Bom trabalho....

 

Vídeo fonte: You tube

 

MEC lança plano nacional para impulsionar lei que obriga o ensino da história e cultura afro-brasileira

O MEC (Ministério da Educação) e a Seppir (Secretaria de Políticas de Promoção para a Igualdade Racial) lançam nesta quarta-feira (13), o Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e Ensino da Cultura e História Afro-Brasileira e Africana, em Brasília.

Segundo o MEC, o plano tem como objetivo ajudar as instituições a cumprir determinações legais da Lei nº 10.639/03, que torna obrigatório ensino de cultura e história afro-brasileira nos sistemas de ensino.

O plano nacional tem como base seis eixos estratégicos: fortalecimento do marco legal; política de formação para gestores e profissionais de educação; política de material didático e paradidático; gestão democrática e mecanismos de participação social; avaliação e monitoramento e condições institucionais.

"Há três gerações, a população branca registra pelos censos e pesquisas oficiais 2,7 anos a mais de estudo, em relação à população negra. O fato de essa diferença permanecer a mesma entre o avô e o neto sinaliza que o atual sistema educacional ainda não é acolhedor para todos", declara o secretário de educação continuada, alfabetização e diversidade, André Lázaro.

Instituto - Além do lançamento do plano nacional, na área de educação será criado um centro de pesquisa cuja finalidade é construir um conjunto de informações que possam refletir o andamento das políticas de ação afirmativa no Brasil e na América Latina. A instituição realizará mapeamento, avaliação e interpretação das políticas de inclusão social, étnica e racial no ensino superior e seus impactos na sociedade brasileira.

Ainda segundo o MEC, o instituto nacional proporcionará a construção de uma proposta detalhada de estruturação de um banco de dados para o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e para um consórcio de universidades públicas federais e estaduais sobre os egressos de ação afirmativa de recorte étnico-racial (que poderá ser utilizado para alunos que entraram por ação afirmativa nas universidades públicas). O objetivo é acompanhar a trajetória desses novos profissionais no mundo do trabalho.

*Com informações do MEC

Fonte: UOL
Notícia!

Paraná apresenta novos mapas regionais de solos


Os 21 mapas regionais, em CD, e um livro descritivo foram lançados durante a 1ª Reunião Paranaense de Ciência do Solo, em Pato Branco. Segundo o pesquisador da área de solos do Iapar Gonçalo Signorelli de Farias, os trabalhos de levantamento e classificação dos solos do Paraná começaram em 1966, na extinta Comissão de Estudos dos Recursos Naturais Renováveis, entidade pública mantida pelos governos federal e estadual. Esses estudos geraram sete mapas regionais na escala 1:300.000, entre 1970 e 1979, e um mapa geral na escala 1:600.000, publicado em 1984, que se esgotaram ao longo dos anos devido a intensa procura pelos usuários. "Os mapas têm que ser alterados devido à evolução na classificação do solo." Essas novas edições atualizam a nomenclatura usada nos mapas para identificar os solos, de acordo com o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos, adotado oficialmente pelo país em 1999. A novidade este ano é que está sendo oferecido um número maior de mapas regionais com escalas mais detalhadas. Os mapas de solos servem para o planejamento do uso e ocupação das terras, tanto para agricultura e pecuária quanto para preservação ambiental, manejo de bacias hidrográficas e uso urbanos. Os mapas vão também facilitar a identificação da grande variedade de solos em determinadas regiões do Paraná, solos frágeis, férteis e estáveis. "As pessoas têm que entender e classificar a terra onde vivem, onde plantam, isso é a base da vida", ressalta o pesquisador. Fonte: Todo o material estará disponível até o final do mês na Embrapa Florestas, em Colombo (PR) e na Solos, no Rio de Janeiro, e na sede do Iapar, em Curitiba. A rede de ensino pública do estado, bibliotecas e instituições de extensão rural vão receber os mapas gratuitamente.



Fonte: http://www.parana-online.com.br

Imprimir

BIBLIOTECA DO PROFESSOR

Professores de Geografia!

Estou postando a listagem de livros da Biblioteca do Professor.

Livros da Biblioteca do Professor

O objetivo desta seção é divulgar os livros da Biblioteca do Professor.
Consulte-os na biblioteca da sua escola. Os livros são para você.

Biblioteca do Professor - os livros que os professores do Paraná escolheram.

O Projeto da Biblioteca do Professor objetiva enriquecer o acervo já constituído das bibliotecas das unidades de ensino que integram a rede pública estadual do Paraná. Os livros foram adquiridos por meio de um processo democrático de escolha, cuja lista de títulos, para votação eletrônica, estava disponibilizada no Portal Dia-a-dia Educação. Somente os professores da Rede de Educação Básica do Estado do Paraná puderam votar, informando o número do RG e a Data de Nascimento. O número de professores votantes foi de 9.098.

A partir do resultado da votação, ocorrida no período de 01 a 31 de maio de 2005, foram adquiridos 1225 conjuntos de 209 títulos cada um, num valor de R$ 6.065.881,50, com verbas oriundas do PROEM - Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Médio - com contrapartida do Estado.

Fonte:www.diaadiaeducacao.pr.gov.br

 

Geografia






TituloAutorEditora
1Geografia para o Ensino Médio - Manual de aulas práticasR. S. Archela e M. F.V. B. GomesUEL
2Geografia em sala de aula: práticas e reflexõesHelena C. Callai; Antonio Castrogiovanni e Neiva SchafferUFRGS
3Dicionário Breve de GeografiaDulce Garrido e Rui CostaPresença
4Brasil: Território e Sociedade no Início do Século XXIMilton Santos e Maria Silveira (org)Record
5Geografia do BrasilJurandyr RossEDUSP
6Por uma outra globalizaçãoM. SantosHucitec
7A natureza do Espaço, Técnica e Tempo Razão e EmoçãoM. SantosRecord
8Para ensinar Geografia: contribuição para o trabalho com 1º e 2º grausJ. Rua et alAccess
9Os (des)caminhos do Meio AmbienteCarlos W. P. GonçalvesContexto
10A Geografia - Isso serve, em primeiro lugar para fazer a guerra.Y. LacostePapirus
11Geografia, Escola e Construção de ConhecimentoL. de S. CavalcantiPapirus
12Geografia e ModernidadePaulo C. da C. Gomes

Bertrand do Brasil

RisoOlá companheiros geográficos!Riso



http://www.youtube.com/watch?v=hNh_4SoTYhs


Após acessar o link, abra o site www.converta.com.br cole a URL acima e converta em forma de vídeo ou mp4. Esses forma dá subsídios para ser utilizado na TV multimídia.


Bom trabalho.


Coordenação de Geografia.

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sul, ARAPOTI, Homem, de 20 a 25 anosCoordenador da Disciplina de Geografia
Visitante número: